Geografia da fome: Região Norte do Brasil é a mais impactada pela insegurança alimentar


No Norte brasileiro 71,6% das famílias sofrem algum tipo de insegurança alimentar. No país, aproximadamente 33,1 milhões de brasileiros vivem em situação de fome, 14 milhões a mais que em 2020.

PORTO VELHO, RO - 
A fome que avança pelo Brasil atinge percentualmente mais os moradores da Região Norte: 71,6% sofrem com a insegurança alimentar e a fome extrema faz parte do cotidiano de 25,7% das famílias — índice maior que a média nacional de aproximadamente 15%.

Os dados foram divulgados nesta quarta-feira (8) no 2º Inquérito Nacional sobre Insegurança Alimentar no Contexto da Pandemia da Covid-19 no Brasil, realizado pela Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional (Rede PENSSAN).

O estudo aponta que o país soma atualmente cerca de 33,1 milhões de pessoas sem ter o que comer diariamente, quase o dobro das pessoas em situação de fome em 2020. Em números absolutos, são 14 milhões de pessoas a mais passando fome no país.

A metodologia da pesquisa considerou a Escala Brasileira de Insegurança Alimentar (Ebia), a mesma utilizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) para mapear a fome no país. Ela classifica a insegurança alimentar em três níveis: leve, moderada e grave (entenda mais abaixo).

    * Insegurança alimentar leve: há preocupação ou incerteza quanto ao acesso aos alimentos no futuro, além de queda na qualidade adequada dos alimentos resultante de estratégias que visam não comprometer a quantidade de alimentação consumida.

    * Insegurança alimentar moderada: há redução quantitativa no consumo de alimentos entre os adultos e/ou ruptura nos padrões de alimentação.

    * Insegurança alimentar grave: há redução quantitativa de alimentos também entre as crianças, ou seja, ruptura nos padrões de alimentação resultante da falta de alimentos entre todos os moradores do domicílio. Nessa situação, a fome passa a ser uma experiência vivida no lar.

As formas mais severas de insegurança alimentar, ou seja a moderada ou grave, atingem mais a população da Região Norte: 45,2%, e na sequência do Nordeste: 38,4%.

'Quem tem fome tem sede'

Outro tópico citado no estudo é sobre a falta de acesso regular e permanente à água, também chamado de insegurança hídrica, que é uma realidade para 12% da população brasileira geral.

"A insegurança alimentar se manifesta em 48,3% dos lares com restrição de acesso à água na região Norte, em 43% no Sudeste, em 41,8% do Centro Oeste e em 41,2% no Nordeste", consta na pesquisa.

Fome no campo




Pessoa revira lixo em busca de alimento. — Foto: ALOISIO MAURICIO/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO

O inquérito nacional também pesquisou a situação dos habitantes nas áreas rurais. No país, a fome atingiu 21,8% dos lares de agricultores familiares e pequenos produtores rurais. E o cenário foi ainda mais preocupante nas regiões Norte com 54,6% e Nordeste 43,6%.


Fonte: G1/RO
Geografia da fome: Região Norte do Brasil é a mais impactada pela insegurança alimentar Geografia da fome: Região Norte do Brasil é a mais impactada pela insegurança alimentar Reviewed by REDAÇÃO on junho 09, 2022 Rating: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.