Sobre(viver) através de arte: drag de Rondônia fala sobre processo criativo, família e reconhecimento nacional


PORTO VELHO, RO - Já imaginou ganhar a vida simplesmente sendo você e fazendo o que mais ama? Aos 26 anos, Matheus Henrico conquistou esse sonho através da arte drag. Ao g1, ele contou que foi algo que começou inesperadamente e acabou se transformando em seu trabalho.

Hoje ele atua como DJ performer, influencer de moda e maquiagem, publicitário e é "a cara" de uma empresa de estética de Rondônia, além de carregar o título de embaixador de uma marca de maquiagem nacional.

"Eu trabalho com a minha formação sendo do jeito que eu sou. Recebo pra ser drag queen, falar de maquiagem e tenho um reconhecimento nacional cada vez aumentando", comenta.

A história de Matheus - ou Matth, como se chama sua drag - é mais uma da série "Sobre(viver) através de arte", que conta as histórias de jovens rondonienses da comunidade LGBTQIAP+ que utilizam a arte para expressar a própria identidade, medos, desejos e vivências.

"Sair do armário"

No meio LGBTQIAP+ existe um termo chamado "sair do armário", que significa revelar para as pessoas sua orientação sexual ou identidade de gênero. Para Matheus, isso aconteceu duas vezes: a primeira foi na adolescência, quando se descobriu gay. A segunda foi quando teve o contato com a arte drag.

"Nesse meu primeiro contato com maquiagem, com as perucas, eu me apaixonei. Resolvi experimentar e nunca mais parei. Comecei a fazer shows em festas e isso virou o que é hoje: minha profissão, minha vida, que é ser drag através da internet".

Para Matheus foi quase automático se identificar usando maquiagem e uma peruca, mas para sua família foi um processo lento e delicado de aceitação.

“Pra eles, eu querer colocar peruca, me maquiar... na cabeça deles eu ia mudar de sexo, queria me transformar em uma mulher. Desse processo, até eles entenderem que era ser drag queen é uma expressão artística, que ia ser minha profissão, foi um processo bem lento”.

"Eu tive paciência de explicar e falar: 'olha mãe, hoje eu fiz esse vídeo de maquiagem e eu ganhei esse dinheiro'. Depois eu mostrava: 'olha, eu tô fazendo show a noite em festa e boate, mas eu tô ganhando esse dinheiro também para ajudar vocês'. E aí durante esses seis anos eu comecei a construir essa relação com a minha família".


A internet possibilitou que Matth pudesse transformar sua arte em fonte de renda — Foto: Redes Sociais/Reprodução

Processo criativo

A Matth é inspirada em outras drags nacionais, mas também é a personificação da essência do Matheus, de forma original e transparente.

"Quando eu coloco uma peruca, eu me encorajo a ser quem eu sou realmente por dentro. Tanto que a minha drag ela não tem um nome assim fantasiado, é o meu próprio nome, que é a minha forma de me expressar", conta.


Matth diz que a montagem é "de onde vem toda força". — Foto: Redes Sociais/Reprodução

"Eu me sinto muito seguro quando eu tô montado, algumas pessoas têm muito medo, porque eu saio na rua, eu me monto na hora que eu quiser, que eu me sinto bem. Eu me monto e faço meu show, então é de onde vem toda minha força. Quando eu tô no camarim me maquiando e coloco cílios, coloco uma roupa: é quando tudo acontece", continua.

Relação com a internet

Fazendo vídeos sobre moda e maquiagem, nas redes sociais Matth acumula milhares de seguidores. Alguns deles vieram antes, quando o Matheus dava dicas de moda masculina em blog.

"As pessoas que me acompanham desde essa época também, elas foram mudando e crescendo junto comigo passando por essa transição e durante todo esse tempo foi uma construção".

Hoje em dia, o trabalho do Matheus permite que ele ajude a família financeiramente e se sustente por conta própria. Porém, apesar de ser o palco do sucesso da Matth, a internet também tem seus pontos negativos.

"A internet me encorajou a sair da caixinha pra poder ser o que sou hoje. Mas não é fácil. Ao mesmo tempo que ela levanta, também tem as pessoas que são muito maldosas, com preconceito e xingamentos".

A existência LGBTQIAP+ através da arte

Você acha que a arte tem um significado especial para pessoas da comunidade LGBTQIA+?

"Eu acho que a arte para o meio LGBTQIA+ tem sim um significado diferente sim. Eu, por exemplo, expresso a minha arte através da maquiagem e, além dela realçar o que a pessoa sente e é por dentro, ela também transforma vidas, como ela transformou a minha e a de muitas pessoas que me conhecem e conhecem o meu trabalho. A arte e a maquiagem transformam vidas".

*No próximo episódio da série "Sobre(viver) através de arte”, o g1 conta a história de Matheus Fideles. Fotógrafo, especialmente em festas LGBTQIA+, ele conta que a fotografia contribuiu no seu processo de autoconhecimento e relação com a família.


Fonte: G/RO
Sobre(viver) através de arte: drag de Rondônia fala sobre processo criativo, família e reconhecimento nacional Sobre(viver) através de arte: drag de Rondônia fala sobre processo criativo, família e reconhecimento nacional Reviewed by REDAÇÃO on junho 30, 2022 Rating: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.