Ação do PL no TSE pode tirar deputados federais de Rondônia Coronel Cristhostomo e Silvia Cristina

Despacho do presidente do TSE Ministro Alexandre de Moraes

BRASÍLIA – Em representação enviada nesta terça-feira, 22, ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o PL afirma que o presidente Jair Bolsonaro teve 51,05% dos votos no segundo turno das eleições e venceu a disputa contra Luiz Inácio Lula da Silva (PT), no último dia 30. Para chegar a esse porcentual, o partido de Jair Bolsonaro pede a anulação dos votos de 279 mil urnas. O número representa mais da metade dos votos do País.

Depois que o presidente do PL, Valdemar Costa Neto, anunciou a conclusão do relatório do partido sobre as eleições, o presidente do TSE, Alexandre de Moraes, deu 24 horas para que a sigla também inclua na ação ao tribunal o questionamento ao resultado do 1º turno das eleições. Com isso, o partido está obrigado a questionar os números que fizeram do PL a maior bancada na Câmara, com 99 deputados.

Bolsonaro e Costa Neto entraram com ação no TSE pedindo que sejam desconsiderados os votos de 279 mil urnas, sob o argumento de que os modelos são anteriores a 2020 e têm o mesmo número de patrimônio. O PL alega que isso impediria a fiscalização dos equipamentos. Essas urnas, porém, já foram usadas nas eleições de 2018.

Desde o ano passado, Bolsonaro põe em dúvida o sistema eleitoral, mas nunca apresentou provas do que diz. Recentemente, auditoria feita pelas Forças Armadas mostraram a lisura das eleições. Nos bastidores, porém, o presidente continua dizendo que é vítima de uma “armação” da Justiça Eleitoral.


RONDÔNIA

Em Rondônia os principais prejudicados seriam os deputados federal reeleitos Coronel Crishostomo e Silvia Cristina, ambos do PL.

Fonte: O Observador
Ação do PL no TSE pode tirar deputados federais de Rondônia Coronel Cristhostomo e Silvia Cristina Ação do PL no TSE pode tirar deputados federais de Rondônia Coronel Cristhostomo e Silvia Cristina Reviewed by Redação on novembro 22, 2022 Rating: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.