Após Lula, grupo de WhatsApp em RO quer executar procuradora da República

Presidente da OAB em Rondônia foi procurado, porquê um dos interlocutores da conversa é suposto membro de seus quadros

Porto Velho, RO – No dia 31 de outubro o Rondônia Dinâmica veiculou com exclusividade matéria intitulada “Grupo de Rondônia para paralisação de rodovias sugere ‘vaquinha’ para matar presidente eleito com tiro na cabeça”.
O caso reverberou na mídia regional e na imprensa nacional, e, com isso, teve desdobramentos na seara institucional.

O Ministério Público de Rondônia (MP/RO) já investiga as pessoas envolvidas no episódio com procedimento deflagrado pelo procurador-geral de Justiça Ivanildo de Oliveira.

O promotor Tiago Cadore, coordenador do Grupo de Atuação Especial (GAESP), foi designado para apurar os fatos.


Ameaças à procuradora federal

Além de ser hostilizada e ofendida por conta de sua atuação institucional nas investidas contra obstruções ilegais de rodovias em Rondônia, a procuradora da República Gisele Dias de Oliveira Bleggi Cunha também é alvo de diálogos com ameaças de execução.

Na última segunda-feira (07), a Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR) emitiu uma nota pública de solidariedade à representante do Ministério Público Federal de Rondônia (MPF/RO) em decorrência das ofensas perpetradas.



Paralelamente, no grupo “Mercado animais Rondônia”, uma pessoa com o número de telefone com prefixo 69, denominada apenas como “T”, responde o seguinte sobre a foto de Bleggi:

“Vou precisar dos serviços do advogado aí pra fazer uma execução essa semana. Heheheh”.

O suposto advogado responde:

“kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk”.

E sobre a fala de “T” inclui uma figurinha onde uma pessoa coloca munição num revólver com os dizeres “a gente não pode esperar que Deus faça tudo sozinho”.


O que diz a OAB Rondônia

Sobre a eventual participação do advogado na conversa, o Rondônia Dinâmica procurou Márcio Nogueira, presidente da Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Rondônia (OAB/RO).

Nogueira tachou a postura do causídico como “inaceitável”.

Ele registrou o repúdio da entidade “à violência praticada ou até mesmo sugerida. Pregamos uma cultura de paz. Somos intolerantes com a violência”, acrescentou.

A reportagem questionou sobre a possibilidade de haver repercussão no campo das sanções profissionais.

“Sem dúvida. O colega está sujeito ao Tribunal de Ética e Disciplina”, encerrou o presidente da OAB/RO.

Assim com o caso de ameaças ao presidente eleito, o Rondônia Dinâmica encaminhará as capturas de tela originais às autoridades competentes a fim de que possam promover as devidas investigações sobre as mensagens expostas nesta reportagem.

Fonte: RONDONIA DINÂMICA
Após Lula, grupo de WhatsApp em RO quer executar procuradora da República Após Lula, grupo de WhatsApp em RO quer executar procuradora da República Reviewed by Redação on novembro 08, 2022 Rating: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.