Projeto que leva energia solar para reservas extrativistas de Rondônia apresentado durante a COP-27

A energia solar foi instalada na Escola Municipal Professor João da Mata dos Santos, em setembro de 2021

Porto Velho, RO - O projeto “Luz para Educação” direcionado a comunidades tradicionais deve ser ampliado em Rondônia. A expectativa é de que o Governo de Rondônia, por meio da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Ambiental – Sedam, consiga a partir de 2023, expandir o projeto para mais unidades de conservação em Rondônia, além da Reserva Extrativista (Resex) Rio Pacaás Novos, em Guajará-Mirim, onde a energia solar foi instalada na Escola Municipal Professor João da Mata dos Santos, em setembro de 2021, se tornando a primeira escola pública movida à energia solar de Rondônia.

A Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas – COP-27, que acontece entre os dias 6 e 18 de novembro de 2022, em Sharm El Sheikh, no Egito, terá um espaço para discutir e apresentar a ações que estão sendo realizadas e que influenciam de forma positiva na preservação do Meio Ambiente, amenizando assim o enfrentamento às mudanças climáticas.

De acordo com a assessora de Governança Climática da Sedam, Letícia Pereira de Andrade, uma das representantes de Rondônia na COP-27, “o uso de energia sustentável nas áreas de reserva em Rondônia é um desses casos positivos e deve atrair investidores para implantar energia solar em mais UC aqui de Rondônia”, explicou Letícia.



Foram instaladas 15 placas solares para atender a unidade de ensino dentro da Resex Pacaás Novos
Ao todo, Rondônia possui 49 Unidades de Conservação – UC que podem receber o projeto “Luz para Educação”, tendo em vista que uma das maiores necessidades dessas unidades é o acesso à energia. O projeto instalado na Resex Rio Pacaás Novos trouxe benefícios à comunidade.

Na reserva vivem cerca de 26 famílias distribuídas em cinco comunidades e a instalação de energia solar fotovoltaica, substituiu o velho motor movido a diesel, que além de poluente; tinha o custo de manutenção alto devido ao consumo de combustível. Neste montante, foram instaladas 15 placas solares para atender à escola.

ENERGIA

O projeto foi financiado pelo Climate Group e executado pela Sedam, em parceria com o Centro de Estudos Rioterra, Prefeitura de Guajará-Mirim e Instituto Federal de Educação de Rondônia – Ifro, Campus Guajará, que instalou na escola um laboratório de informática, sendo somente possível devido à energia estável de origem solar, possibilitando ainda, o acesso à inclusão digital.

“A Sedam reforça o compromisso de promover o desenvolvimento ambiental em todas as suas formas. Os dois projetos se complementam em levar a Educação de qualidade e inclusão digital para uma comunidade tradicional no meio da floresta Amazônica”, salientou a assessora.

Fonte: Secom - Governo de Rondônia
Projeto que leva energia solar para reservas extrativistas de Rondônia apresentado durante a COP-27 Projeto que leva energia solar para reservas extrativistas de Rondônia apresentado durante a COP-27 Reviewed by Redação on novembro 11, 2022 Rating: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.