ECONOMIA BRASILEIRA Mercado financeiro reduz previsão para superávit comercial em 2023

 

Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil

Porto Velho, RO 
- As instituições financeiras ouvidas pelo Banco Central (BC) na pesquisa Boletim Focus reduziram a previsão de superávit comercial em 2023 para US$ 58,00 bilhões, de US$ 59,10 bilhões na semana passada. A balança comercial mensura o resultado das vendas de bens ao exterior (exportações), menos as compras de bens do exterior (importações).

+ Previsão da inflação avança para 5,23% em 2023

A previsão para o saldo em conta corrente — que reúne os resultados das transferências e das balanças comercial, de serviços e de renda — foi de déficit de US$ 47,00 bilhões, superior ao saldo negativo de US$ 46,00 bilhões observado na semana anterior. A estimativa para o investimento direto em 2023 aumentou para US$ 80,00 bilhões, comparada à projeção de US$ 77,00 bilhões da semana passada.

Para 2022, as instituições elevaram a previsão de superávit comercial para US$ 58,00 bilhões, de US$ 59,10 bilhões na semana passada. A previsão para o saldo em conta corrente foi de déficit de US$ 51,00 bilhões, superior ao saldo negativo de US$ 46,21 bilhões observado na semana anterior. A estimativa para o investimento direto em 2022 aumentou para US$ 81,60 bilhões, comparada à projeção de US$ 80,00 bilhões da semana passada.

Superávit comercial x déficit primário


Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil

As instituições financeiras ouvidas pelo Banco Central (BC) na Boletim Focus elevaram a previsão de déficit primário em 2023 para 1,17% do Produto Interno Bruto (PIB), de 1,00% na semana passada. O resultado primário equivale à diferença entre a receita e a despesa pública, sem considerar os gastos referentes à dívida do governo — como as despesas com o pagamento de juros.

A previsão para o resultado nominal — a diferença entre as receitas e as despesas do governo, inclusive aquelas relacionadas à dívida pública — foi de déficit de 8,60% do PIB, inferior ao saldo negativo de 8,65% do PIB observado na semana anterior. A estimativa para a dívida líquida do setor público em 2023 diminuiu para 62,00% do PIB, comparada à projeção de 62,15% do PIB da semana passada.

Para 2022, as instituições reduziram a previsão de superávit primário para 1,20% do PIB, de 1,30% na semana passada.

A previsão para o resultado nominal foi de déficit de 5,20% do PIB, igual ao saldo negativo de 5,20% do PIB observado na semana anterior. A estimativa para a dívida líquida em 2022 diminuiu para 57,50% do PIB, comparada à projeção de 57,51% do PIB da semana passada. Com informações da Agência CMA.

Fonte: Por Agência Safras

Postar um comentário

0 Comentários

Close Menu