Guaidó atravessa fronteira com a Colômbia a pé, é expulso pelo governo e vai para Miami

Guaidó atravessa fronteira com a Colômbia a pé, é expulso pelo governo e vai para Miami


Ex-líder da oposição venezuelana foi ao país de surpresa com esperança de participar de uma cúpula internacional

Porto Velho, RO - O ex-líder da oposição venezuelana Juan Guaidó chegou a Miami na terça-feira (25) após uma visita surpresa à Colômbia no dia anterior, onde esperava se encontrar com os participantes de uma cúpula internacional.

Guaidó chegou inesperadamente no país na véspera do encontro, organizada pelo governo do presidente esquerdista Gustavo Petro com o objetivo de reiniciar as negociações paralisadas entre o governo venezuelano e políticos da oposição.

Ele embarcou em um avião na capital da Colômbia, Bogotá, na segunda-feira (24), poucas horas depois de dizer no Twitter que havia cruzado para a Colômbia a pé.

“Depois de 70 horas ou mais de viagem, ainda estou muito preocupado com minha família e equipe”, disse Guaidó a jornalistas após chegar a Miami, referindo-se às ameaças que disse ter recebido.

A visita de Guaidó atraiu críticas de autoridades colombianas, com o ministro das Relações Exteriores, Alvaro Leyva, dizendo na que o ex-líder da oposição venezuelana havia entrado no país de forma inadequada.

A agência de migração da Colômbia acompanhou Guaidó ao aeroporto de Bogotá para garantir sua partida para os Estados Unidos, informou o ministério na segunda.

“Basta entrar com seu passaporte e pedir asilo. Com prazer, teria sido oferecido. Você não precisa entrar ilegalmente”, escreveu Petro no Twitter, acrescentando que Guaidó recebeu permissões de trânsito.

Leyva disse a jornalistas que Guaidó estava acompanhado por autoridades dos EUA no aeroporto e sua passagem foi fornecida pelos EUA.

“Juan Guaidó acredita que está sob ameaça e partiu da Venezuela para a Colômbia. Ajudamos sua partida para os Estados Unidos”, disse uma autoridade dos EUA sob condição de anonimato. Guaidó havia dito que esperava encontrar delegações em Bogotá para a cúpula. Ele pediu aos participantes que falassem pelos venezuelanos no exílio, servindo como a voz que Maduro queria tirar de mim”.

A conferência de terça, marcada para a presença de representantes de 19 países e da União Europeia, visa ajudar a reiniciar as negociações paralisadas no México.

Guaidó, um engenheiro de 39 anos, liderou um governo interino por quase três anos antes de ser substituído como chefe da legislatura da oposição no final de 2022.

O partido Vontade Popular de Guaidó disse em um comunicado que rejeitou seu tratamento pelo governo da Colômbia.

Fonte: CNN Brasil

Postar um comentário

0 Comentários

Close Menu