Empresa responsável por obra do Hospital Regional de Guajará-Mirim cancela licitação

Editors Choice

3/recent/post-list

Geral

3/GERAL/post-list

Mundo

3/Mundo/post-list
SEMPRE NO AR

Empresa responsável por obra do Hospital Regional de Guajará-Mirim cancela licitação

Deputados questionam Sesau sobre motivos da impugnação

Porto Velho, RO - A deputada estadual Dra Taíssa (PSC) presidiu a Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa (Ale), na manhã desta terça-feira (6). Foi aprovada pelos demais colegas da comissão, requerimento solicitando ao secretário de Estado da Saúde, Jefferson Rocha, sobre a situação do Hospital Regional de Guajará-Mirim. Não houve nenhuma empresa habilitada no edital lançado pelo UNOPS, organismo da ONU responsável pela licitação para a conclusão das obras do hospital, e um novo edital será lançado.

Em razão do cancelamento será lançado um novo edital, mas a deputada Dra Taíssa está indignada com a morosidade do processo para conclusão de uma obra, que está paralisada há décadas. A empresa (Unops) já recebeu do governo do Estado em 2021, cerca de R$ 41 milhões para executar o projeto e “já estamos na metade do ano de 2023 e a obra continua paralisada. Já se foram mais de dois anos”, questionou a parlamentar.

Hoje uma pessoa para poder ter um atendimento mais qualificado tem que ser transportada por mais de 320km (Guajará a Porto Velho) para poder ser atendida no Pronto Socorro João Paulo II, mesmo assim, não sabe se conseguirá vaga.

Sugestão do deputado estadual Luizinho Goebel (PSC), apresentada em reuniões anteriores para firmar parcerias com as usinas hidrelétricas (Samuel e Santo Antônio) ou a Energisa (distribuidora de energia elétrica em Rondônia), foi novamente apresentada. A Energisa deve R$ 1,3 bilhão para o Estado na compra da Centrais Elétricas de Rondônia-Ceron, por R$ 50 mil, mas assumindo passivo e ativo. Segundo o deputado Luizinho, a Energisa poderia construir os hospitais regionais (Ariquemes e Ji-Paraná) e terminar o de Guajará-Mirim, assim como ocorreu com as usinas, que concluiu o regional de Cacoal, que estava há 20 anos em construção.

O Hospital Heuro de Ariquemes, cuja obra está nos escombros de um princípio de alicerce, segundo o deputado delegado Rodrigo Camargo (Republicanos), “herança maldita do hoje senador Confúcio Moura (MDB), que colocou uma pedra no local, tirou fotos, mas hoje está tudo tomado pelo mato” está abandonada. “Ser bem atendido pelo secretário da Sesau, ele demonstrar boa vontade é importante, mas não o suficiente”.

O requerimento da deputada Dra Taíssa foi aprovado pelos demais companheiros e será encaminhado à Sesau, para que explique as razões do cancelamento do edital. “Não é possível que não tenha aparecido uma empresa para construir obras como a conclusão do hospital regional de Guajará-Mirim”, concluiu a parlamentar.

Unops

O Escritório das Nações Unidas de Serviços para Projetos (Unops) é o organismo operacional da ONU que apoia seus parceiros na execução de ações humanitárias, de desenvolvimento e de consolidação da paz em todo o mundo. A Unops presta serviços de gestão de projetos, infraestrutura e aquisições, áreas para as quais tem mandato claro e conhecimentos especializados, a governos, instituições privadas e organizações das Nações Unidas.

Texto: Waldir Costa I Secom ALE/RO
Foto: Rafael Oliveira I Secom ALE/RO

Postar um comentário

0 Comentários