Polícia Civil avança nas investigações do incêndio criminoso na réplica da Estátua da Liberdade em Porto Velho

Editors Choice

3/recent/post-list

Geral

3/GERAL/post-list

Mundo

3/Mundo/post-list
SEMPRE NO AR

Polícia Civil avança nas investigações do incêndio criminoso na réplica da Estátua da Liberdade em Porto Velho

No entanto, para garantir o sucesso na elucidação do caso, maiores detalhes sobre as apurações não serão divulgados no momento

Porto Velho, RO - A Delegacia Especializada em Repressão a Crimes Contra o Patrimônio, sob o comando do delegado Daniel Braga, está empenhada em desvendar o incêndio criminoso que ocorreu na réplica da Estátua da Liberdade, localizada na loja Havan da Avenida Jorge Teixeira com Rua Tiradentes, em Porto Velho, Rondônia. As investigações indicam a participação de duas mulheres, que teriam fugido na contramão da Jorge Teixeira após cometer o crime.

A Polícia Civil está conduzindo uma investigação detalhada para esclarecer os fatos relacionados ao incêndio criminoso. No entanto, para garantir o sucesso na elucidação do caso, maiores detalhes sobre as apurações não serão divulgados no momento.

De acordo com as informações obtidas até o momento, as duas suspeitas, que estavam em uma motocicleta Honda Biz, teriam sido responsáveis por provocar o incêndio na réplica da Estátua da Liberdade. Após o ato criminoso, elas empreenderam fuga na contramão da Avenida Jorge Teixeira, acessando a Rua Tiradentes.

O monumento, que possuía 40 metros de altura, foi completamente destruído pelo fogo em questão de minutos. Apenas a parte metálica da estrutura permaneceu em pé, mostrando as proporções do dano causado.

Recompensas oferecidas:

Diante da gravidade do ocorrido, o proprietário da loja Havan, Luciano Hang, está oferecendo uma recompensa no valor de R$ 100 mil para aqueles que fornecerem informações relevantes e auxiliarem na identificação e captura das autoras do crime.

Além disso, um empresário do município de Ji-Paraná, em Rondônia, está contribuindo com uma oferta adicional de R$ 50 mil para quem denunciar as acusadas.

Enquanto a população de Porto Velho, Rondônia, aguarda ansiosamente pela resolução do caso, a Polícia Civil, por meio da Delegacia Especializada em Repressão a Crimes Contra o Patrimônio, continua empenhada nas investigações do incêndio criminoso que destruiu a réplica da Estátua da Liberdade na loja Havan.

A expectativa é que com as avançadas apurações realizadas até o momento, a prisão das responsáveis pelo ato delituoso ocorra em breve. A recompensa oferecida pelo empresário Luciano Hang e pelo empresário de Ji-Paraná pode ser um importante incentivo para a colaboração da população no desvendamento desse crime.

Postar um comentário

0 Comentários