O dia 12 março na história de Porto Velho, Rondônia, Brasil e Mundo

Editors Choice

3/recent/post-list

Geral

3/GERAL/post-list

Mundo

3/Mundo/post-list
SEMPRE NO AR

O dia 12 março na história de Porto Velho, Rondônia, Brasil e Mundo


O DIA NA HISTÓRIA
12.3.2024 – BOM DIA!

Lúcio Albuquerque
69 99910 8325

RONDÔNIA

1925 – No mercado de Porto Velho a concorrência de dois “marchantes” beneficia a população. O preço da “carne verde” cai de 1.300 réis para 1,2.

1941 – O cientista E. Brumpi, expert mundial em combate ao paludismo, vem a Porto Velho pesquisar o índice da doença e as formas de transmissão.

1976 – Encaminhado à Confederação Brasileira de Voleibol o pedido de filiação da Federação de Voleibol, comandada pelos desportistas Chiquilito Erse e Walter Santos Barbosa.

1981 – O governador Jorge Teixeira vai a Brasília conversar com o presidente João Figueiredo sobre a minuta do projeto de criação do Estado.

1989 – O governador Jerônimo Santana constitui uma comissão, presidida pelo deputado estadual Haroldo Santos, para analisar a proposta de criar, na região de Ouro Preto, uma cidade para ser a nova capital. (FOTO DO DIA) 

HOJE É

Dia do bibliotecário. Dia Internacional da Pochete.
Católicos celebram São Maximiliano, Santo Inocêncio, São Luís Orione, 

BRASIL

1537 – Criada a vila de Ribeira de Mar dos Arrecifes, a seguir Recife (PE). 

MUNDO

515 a.C. — Acaba a construção do Segundo Templo de Jerusalém. 

1947 – O presidente Harry Truman (EUA) anuncia a “Doutrina Truman”, iniciando a “Guerra Fria”. 

1994 – A Igreja Anglicana ordena uma mulher, a primeira como sacerdote.

FOTO DO DIA
PORTO VELHO, A EX-CAPITAL (I)

Em 1989 os deputados estaduais eleitos em 1986 assumem dupla função: pela manhã eram legislativos. À tarde, constituintes, responsáveis por escreverem a 2 2ª Constituição de Rondônia. 

Dos 24, cinco tinham domicílio eleitoral na capital, 18 no eixo, sentido sul, da BR-364 e um era de Guajará-Mirim. Em 1986 Rondônia teve seu primeiro governador eleito, o peemedebista Jerônimo Santana e era comum lideranças do interior defenderem a mudança da capital.

Durante a campanha candidatos da faixa da BR-364 alegavam: “Porto Velho só tem a “indústria do contracheque” e que a capital, na margem do Rio Madeira, estava “de costas para o Estado”. Um defensor da ideia era o próprio Santana.

Naquela legislatura além dos 18 eleitos pela BR o líder do governo, deputado Rigomero Agra (FOTO), de Guajará-Mirim, também defendia a nova capital, a ser instalada onde hoje estão os municípios de Nova União e Mirante da Serra.

No projeto constitucional o assunto estava no Art. 9 das “Disposições Transitórias” e os mudancistas tinham como certa a aprovação. (AM – ed 19.735  Pág 1 e 3)
(Assunto continua amanhã)

Postar um comentário

0 Comentários