Venezuela fecha espaço aéreo para Argentina, após desavença por Boeing

Editors Choice

3/recent/post-list

Geral

3/GERAL/post-list

Mundo

3/Mundo/post-list
SEMPRE NO AR

Venezuela fecha espaço aéreo para Argentina, após desavença por Boeing


Há dois anos, um avião de uma subsidiária da Venezuela pousou na Argentina e, por suspeitas dos EUA, ficou detido

Porto Velho, RO - A Venezuela anunciou ter fechado o espaço aéreo para qualquer voo da Argentina, após desentendimento de anos sobre o destino de um Boeing 747 da Emtrasur, uma subsidiária venezuelana.

Na tarde dessa terça-feira (12/3), o chanceler da Venezuela, Yván Gil, usou o X (antigo Twitter) para comentar a proibição à Argentina.

“A Venezuela exerce plena soberania sobre o seu espaço aéreo, e reitera que nenhum avião, proveniente ou com destino à Argentina, poderá sobrevoar o nosso território, até que a nossa companhia seja devidamente indenizada pelos danos causados, após as ações ilegais realizadas, apenas para agradar aos seus tutores do norte”, escreveu.

Gil acusou o governo argentino, de Javier Milei, de ser “neonazi”, e chamou o porta-voz do outro país, Manuel Adorni, de “cara de tábua”.

O chanceler acrescentou que a Argentina recebeu avisos sobre “seus atos de pirataria e roubou contra a Venezuela”. Adorni, por sua vez, alegou ter tomado medidas “diplomáticas” contra o governo do “ditador” Nicolás Maduro, mas não especificou quais serão as consequências aos venezuelanos.

Entenda

Em 2022, o Boeing 747 foi detido por autoridades da Argentina ao pousar em Córdoba. A aeronave transportava peças automotivas vindas do México, mas recebeu um pedido dos Estados Unidos para ser parado por uma suposta ligação com a Guarda Revolucionária do Irã.

As autoridades liberaram a tripulação, composta majoritariamente por venezuelanos e alguns iranianos, mas o avião recebeu ordens de ficar na Argentina enquanto o caso era discutido.

No último mês, a Justiça concluiu que houve violação em uma normativa dos Estados Unidos para exportação, e o governo argentino teve de entregar o Boeing aos Estados Unidos.

O cumprimento da ordem irritou Maduro, que trocava insultos com Milei e optou por restringir os voos do país.

Fonte: Metropoles

Postar um comentário

0 Comentários