51% desaprovam ações de Janja no Rio Grande do Sul, diz PoderData

Editors Choice

3/recent/post-list

Geral

3/GERAL/post-list

Mundo

3/Mundo/post-list
SEMPRE NO AR

51% desaprovam ações de Janja no Rio Grande do Sul, diz PoderData

Só 28% dos eleitores brasileiros dizem aprovar atuação da primeira-dama no comando da ajuda a vítimas no Sul; outros 21% não souberam responder

Porto Velho, RO - A primeira-dama Janja Lula da Silva, 57 anos, comandou nos primeiros dias da tragédia as ações públicas a ajuda do governo federal para o Rio Grande do Sul por causa das enchentes. A mulher do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), 78 anos, foi a personalidade com mais visibilidade durante as primeiras semanas do desastre. Chorou por causa do cavalo caramelo. Ajudou a entregar ração para pets abandonados. E fez foto dentro do avião presidencial mostrando cestas básicas acomodadas em poltronas e com os cintos de segurança afivelados.

Pesquisa PoderData realizada de 25 a 27 de maio de 2024 mediu o que os eleitores brasileiros acharam de todo esse protagonismo. O resultado foi desfavorável para a primeira-dama: 51% dos eleitores desaprovam as ações de Janja no Rio Grande do Sul. Só 28% aprovam. Outros 21% não souberam responder.



Desde o início da tragédia no Rio Grande do Sul, que já contabiliza mais de 2,3 milhões de afetados e 581 mil desalojados, Janja foi ao Estado 4 vezes e influenciou e realizou ações relacionadas à situação. Como este Poder360 já mostrou, Janja assumiu a imagem do governo nas ações de ajuda a vítimas gaúchas.

Algumas das ações marcantes da primeira-dama foram:o resgate do cavalo Valente Caramelo, nome dado por ela;

a visita acompanhada de ministros, em que os chefes de ministérios ficaram em 2º plano;
participação no envio de 20 toneladas em ração para o Estado.

A pesquisa foi realizada pelo PoderData, empresa do grupo Poder360 Jornalismo, com recursos próprios. Os dados foram coletados de 25 a 27 de maio de 2024, por meio de ligações para celulares e telefones fixos. Foram realizadas 2.500 entrevistas em 211 municípios nas 27 unidades da Federação. A margem de erro é de 2 pontos percentuais. O intervalo de confiança é de 95%.

Para chegar a 2.500 entrevistas que preencham proporcionalmente (conforme aparecem na sociedade) os grupos por sexo, idade, renda, escolaridade e localização geográfica, o PoderData faz dezenas de milhares de telefonemas. Muitas vezes, são mais de 100 mil ligações até que sejam encontrados os entrevistados que representem de forma fiel o conjunto da população. Saiba mais sobre a metodologia lendo este texto.

Fonte: Poder360

Postar um comentário

0 Comentários