De mascote do time até a presidência: conheça Anderson Lins do Rolim de Moura Esporte Clube

Editors Choice

3/recent/post-list

Geral

3/GERAL/post-list

Mundo

3/Mundo/post-list
SEMPRE NO AR

De mascote do time até a presidência: conheça Anderson Lins do Rolim de Moura Esporte Clube


De mascote do time até a presidência: conheça Anderson Lins do Rolim de Moura Esporte Clube


Porto Velho, RO - Nascido em Rolim de Moura e "filho da terra", como se identifica, Anderson Lins assumiu a presidência do Rolim de Moura Esporte Clube. O clube estava inativo, mas, com uma nova diretoria composta por 12 pessoas, o time já começa a sonhar com os primeiros passos dessa retomada no futebol rondoniense.

O Rolim de Moura tem história iniciada em 2002. Anderson acompanhou de perto este início visto que jogou nas categorias de base, especialmente no Sub-15. Apaixonado por futebol e pela terra de nascença, Anderson, em 2010 e 2011, aproveitou que o time era conhecido como "Tigre da Zona da Mata" e se tornou o mascote que fazia a alegria da torcida e das crianças, que se apaixonaram ainda mais pelo clube.

"Eu estive no clube no ano de 2003 na categoria de base na época, que ele [Rolim de Moura Esporte Clube] ainda não era profissional. Ele existia na Sucam, que era um local que podia ter atividades, onde existia um campo de futebol. E aí era uma escolinha que se chamava Rolim de Moura Esporte Clube. No ano de 2010 e 2011, eu fui o mascote nesse período de aproximadamente dois campeonatos estaduais, então eu tenho essa história no clube, essa passagem", relembrou.

Com carinho, lembra o quanto as crianças amavam a fantasia. "Era fantástico, principalmente as crianças eram fanáticas no mascote", contou.

Além disso, foi radialista por dez anos e, por isso, a paixão pelo futebol o fez ser locutor e acompanhar de perto ainda mais o time do coração. Segundo ele, a população da cidade abraçava o clube com muito amor. "A maioria dos atletas eram da região com isso o estádio lotada sempre", relembrou com nostalgia.

Retorno

A ideia de voltar com as atividades do clube, de acordo com Anderson, surgiu em uma roda de conversa com os amigos. "[A possibilidade de retomar as atividades surgiu] ano passado em uma conversa com amigos... O Rolim de Moura Esporte Clube era muito querido, existiam muitos apaixonados", contou.

A partir daí, uma conversa com o primeiro presidente do clube, Artur, garantiu que Anderson poderia criar uma nova diretoria e correr atrás de parceiros. Assim fez. Até o momento, depois de cerca de seis dias do anúncio de retorno, mais de dez parceiros apoiaram o projeto, entre eles a Eucatur, Conde Modas e Carnes SH.


Com a fantasia guardada até hoje e agora com a oportunidade de ocupar a cadeira da presidência, a alegria não poderia ser maior para os primeiros passos daqui pela frente. Além da responsabilidade de trazer o Rolim de Moura para a elite do futebol rondoniense, segundo ele, o projeto vai "além do campo".

"O futebol é inclusão, é amor, é você poder proporcionar aos mais e inclusive menos favorecidos. Na minha época, não se tinha apoio, era tudo muito difícil. Hoje quero dar a esses garotos e garotas a oportunidade de realizarem seus sonhos", contou emocionado.

Mesmo assim, Anderson está ciente das responsabilidades. "Só quem viveu a história do Rolim sabe o amor que temos por esse time. A responsabilidade é grande, pois não posso deixar a paixão falar mais alto. Preciso fazer uma gestão com a razão", explicou.

Por isso, para esse recomeço, o time feminino já está sendo montando. Além disso, o clube também pretende participar do Sub-20 20 e jogar a Série B para voltar a elite do futebol rondoniense.


Loide Gonçalves/Portal SGC

Postar um comentário

0 Comentários